ARQBH

DIVINA CASA


Foto cedida por Sylvio E. de Podestá
Arquiteto: Cid Horta e Paulo Orsini
Uso: Residencial
Cliente:
Ano: 1985/1989
Endereço: Mangabeiras
Acesso: não

Fonte: AP revista de arquitetura n°8

12 comentários

  1. Mas que porcaria...
    Composição geométrica de segundo período revestida de azulejos, tá de brincadeira, né?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo volta do início, e reveja seus conceitos. Gosto é único e indiscutível, mas crítica preconceituosa é outra coisa, a propósito o revestimento é de alumínio ``Wallcap`` com acabamento escovado, um marco arquitetônico que resiste aos seus 23 anos de existência sem sequer uma reforma conceitual ou corretiva.

      Excluir
  2. Esse pessoal do segundo período ta muito bom hen?!

    ResponderExcluir
  3. Esta casa tem 20 anos, não é como chegar hoje e brincar de "tentar ser contemporâneo". Não é uma obra qualquer, ela explora de uma forma única os materias e tecnologias disponíveis para época.
    Vou citar um exemplo. Na época, no Brasil, ninguém falava em painéis metálicos para revestir fachadas (Alucobond, por exemplo). Os arquitetos queriam usar esse tipo de material. O que eles fizeram? Projetarm o revestimento, dobrando-se chapas de aço inox, e colaram placas de poliestireno expandido (isopor) em cada uma delas. Isso garantiu uma excelente durabilidade à fachada e conforto térmico. Eles anteciparam uma tendência. Isso há mais de 20 anos atrás!
    Além disso, ninguém pode negar que a casa tornou-se um ícone.
    Parabéns pela coragem e sintonia entre arquitetos e clientes.:)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oscar que visão, triste é ver profissionais que não conseguem ser razoáveis quando o assunto é o contraste do que era moderno há 20 anos atrás. As chapas eram de alumínio, e foram colados isopor em uma por uma delas, interesantíssimo, conheci o imóvel por dentro e posso afirmar que é épica a sua concepção, feita antes de eu nascer e com materiais que hoje são aperfeiçoados e utilizados em grande escala na arquitetura atual

      Excluir
  4. Anônimo6/26/2009

    obra perfeita!!
    achei maravilhosa!!
    serei ainda uma arquiteta deste porte!!!

    ResponderExcluir
  5. Anônimo2/11/2011

    É um ícone e queiram ou não, domina a paisagem mais bonita de Beagá. Que´ro morar lá.

    ResponderExcluir
  6. Anônimo10/14/2013

    Maravilhosa!!! Gosto é gosto, mas dizer que essa casa é uma porcaria é no mínimo ridículo. Um ícone sem dúvida alguma, se tivesse dinheiro morava fácil nessa casa.

    ResponderExcluir
  7. Anônimo5/20/2014

    SO OS VIDROS DA CASA COMPRA TUDO O QUE OS MANÉS ESTAO DIZENDO AI, SÓ PRA LEMBRAR TODOS OS VIDROS DA CASA SAO RAIBAN

    ResponderExcluir
  8. A casa foi vendida em abril de 2015 por 14 milhões e está sendo totalmente reformada, inclusive as peças de aço escovado que fazem revestimento da parte exterior estão sendo retiradas uma a uma para limpeza pela primeira vez.

    ResponderExcluir
  9. Arquitetura genial. Digo isso com toda certeza já que tive o privilégio e a alegria de ter tido a grande oportunidade de trabalhar com o grande amigo Cid Fiuza Horta na cidade de Uberaba. Lamento muito que não esteja mais entre nós. Na minha opinião, gênio da arquitetura. Só quem trabalhou com ele, que teve a oportunidade de acompanhar a forma como criava seus projetos e depois ter o privilégio de desenhar estes projetos pode dizer isso. E eu trabalhei com ele.

    ResponderExcluir